Money

Inflação ultrapassa os reajustes salariais e prejudica os trabalhadores brasileiros

Os reajustes no salário do trabalhador brasileiro ficam abaixo da inflação, fazendo com que fiquem prejuízo financeiro e que negociações não tenham ganhos reais.

3 min de leitura
25 Ago 2021 - 21h55 | Atulizado em 25 Ago 2021 - 21h55

Este ano os reajustes salariais ficam abaixo da inflação, trazendo uma piora para as condições de negociação. Segundo o boletim Salariômetro da Fipe (Fundação Instituto de pesquisas econômicas), entre janeiro e julho deste ano, 50,5% dos acordos e convenções coletivas realizadas no Brasil tiveram reajustes abaixo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), mostrando que apenas 22,9% das negociações feitas até o mês de julho resultaram em ganhos reais e que os outros 26,6% empataram com o INPC.

Os números confirmam o que a Fipe já havia observado desde junho do ano passado. No período, foram cinco perdas reais no ganho dos trabalhadores, quatro somente neste ano e sete reajustes que apenas garantiram a reposição da inflação aos profissionais. Com essa discrepância, o trabalhador brasileiro perdeu o poder de compra, já que o salário que recebe hoje, mesmo reajustado, vale menos do que há um ano.


(Foto: Cofre com moedas. Reprodução/Pexels) 


A situação fica ainda mais delicada quando se trata da inflação em cima de gastos básicos das famílias, pois fica mais díficil de fazer alguma economia ou algum corte no quesito necessidade, como alimentação, saúde, etc. Segundo o IBGE, as despesas com alimentação em casa acumula alta de preços de 16,4% nos 12 meses até julho. Uma pesquisa do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioecônomicos (Dieese) mostra que o custo médio da cesta básica aumentou em 15 capitais brasileiras no mês passado.

Gil do Vigor será jurado especial em The Masked Singer Brasil

Amazon pretende abrir lojas físicas nos Estados Unidos, segundo jornal

Com um crescimento considerável durante a pandemia, produtos da marca própria Carrefour se destacam em vendas

Julho foi um péssimo mês para os trabalhadores, podendo ser considerado pelo Salariômetro o pior nos últimos 12 meses, resultando em 59,3% de reajustes abaixo da inflação, 27,5% em ganhos reais e 13,2% em índices iguais ao INPC. O reajuste mediano ficou 1,6 pontos percentuais abaixo do INPC.

De acordo com o boletim do IBGE: "A inflação projetada para os próximos meses não dará folga para ganhos reais".

 

(Foto destaque: Inflação ultrapassa os reajustes salariais e prejudica os trabalhadores brasileiros. Reprodução/Freepik).

Deixe um comentário